domingo, 7 de maio de 2006

No princípio era o nada. Depois Deus criou o Universo. Não satisfeito, não descansou sem antes criar o Homem. A mulher veio depois; já em clara fase de pouca inspiração, foi de uma costela de Adão que Deus a criou. Seguiu-se o que todos sabemos. E como nenhum efeito nasce sem causa (nem mesmo os especiais), causas não faltaram nos tempos que se seguiram: assim apareceu o pecado original e o fruto desse pecado, o aborto e o bloco de esquerda, a coca-cola e as armas de destruição maciça, os agrafos e os vendedores de bíblias, as perversões e os depravados, os crentes e os outros, etc. e tal.

Mais tarde, um novo princípio; um novo Universo. Desta vez foi o Homem quem o criou. O novo Universo é virtual mas em tudo procura imitar o real. Das maiores evidências aos mais pequenos detalhes, o virtual vai relegando o real para segundo plano e, para gerações futuras, o real e o virtual poderão substituir o ovo e a galinha e...será que vão saber com quê se fazem omeletas?

Agora também eu aderi ao virtual. Pelo menos no que respeita à “bloguice”: Blog, ou versão económica de “weblog” que adapta do real aquilo que outrora designava um registo de entradas, um diário de bordo ou coisa semelhante. Fosse o meu blog um diário de bordo, e estaria eu à espera de um iceberg que me afundasse para fazer dele motivo de interesse. Sendo o virtual diferente do real, o termo “blog” abastardou-se e, para os que não serão capazes de fazer omeletas, o blog será como um instrumento de exibicionismo. Todos, mesmo aqueles que nada têm para dizer e aqueles que poderão ter algo para dizer mas ninguém que o queira ouvir, podem gratuitamente exibir-se neste mundo virtual.

Eu quero apenas que sejam bem-vindos, aonde quer que estejam, todos os mirones que espreitem este blog, mas desde já vos aviso: aqui nada encontrarão que tenha sido escrito só para vocês; tudo será escrito POR e raramente PARA. Se algum dia alguém testar a minha fraca memória e me perguntar “onde estava no dia 25 de Abril?”, talvez este blog seja de alguma utilidade. Até lá serei um exibicionista; vocês serão mirones. Os vossos comentários, caso os haja, serão o princípio da mudança...ou não...

3 comentários:

nés disse...

Nada a comentar. Este post é a tua justificação para a necessidade de contaminares o mundo com a tua anormalidade... ja nao bastava teres-me contaminado a mim. Mas eu nem me importo muito - facto que se deve à insanidade adquirida por transmissão vertical aquando da ocasião da costela.

...ei, espera aí, será isto o princípio da mudança?

susana cadilha disse...

Correcção: Deus não criou a mulher em fase de pouca inspiração; pelo contrário, o homem foi um esboço, e a mulher a verdadeira obra-prima. Dadas as tuas preferências sexuais, deverias repensar a tua posição, caso contrário é um bocado estranho que não prefiras homens... :p

Anónimo disse...

Nuno,
Perche questo blog non e scritto in italiano...?
Ti adoro.
Marta