quinta-feira, 8 de junho de 2006

Alienígena: Acreditar que não estamos sós, para que não acreditemos estar sós com tantos como nós. Deus: Acreditar que a nossa perfeição teve origem numa ainda mais perfeita, para que haja uma causa e não sejamos um defeito. Enfim...acreditar!

Em Deus não acredito; não saberia que forma dar-lhe. O antropomorfismo divino parece-me ignóbil. Acredito mais facilmente em alienígenas; seres esbeltos e cabeçudos, vindos de outras dimensões. Só assim a nossa existência não provoca qualquer eco no universo.

O alienígena é ente para nos visitar a meio da noite e muito mais. É até ente suficiente para nos implantar chips no crânio e para nos usar como cobaia em experiências que não somos capazes de entender.

Acreditar que acreditamos para que acreditemos ser possível acreditar. Há dúvidas? Acredito...

1 comentário:

nés disse...

Eu até costumo privar com um ente semi-antropomórfico (semi porque a outra parte é mesmo divina... e como não lhe quero chamar ignóbil...) Mas sim, este ser é ente para me visitar a meio da noite e muito mais. E eu, um mero efeito duma origem perfeita vinda desta dimensão, acredito que ele só o faz para que acreditemos que ele acredita que pode acreditar...