quarta-feira, 13 de setembro de 2006

Às 9 horas e 11 minutos da manhã do dia 13 do mês de Setembro do ano de 2006 espera-se pelo 93 que é um veículo eléctrico mas não anda sobre carris. O 23, que passa um pouco mais adiante, e é também um veículo eléctrico, esse sim, anda sobre carris. Tanto o 23 como o 93 são veículos eléctricos; ambos são cor-de-laranja. Seguem diferentes direcções mas, aqui, o seu percurso cruza-se: Um, o 23, sobre carris, o outro, o 93, sobre o asfalto, hoje, no dia 13 do mês de Setembro do ano de 2006, pelas 9 horas e 11 minutos da manhã. A cena repete-se em muitos outros dias, com outros e com os mesmos números.

7 carros, 2 bicicletas e 3 motociclos atrasam a viagem do 93 que anda sobre o asfalto e não sobre carris. Os 7 carros passam a ser apenas 5 depois de 2 paragens do 93, mas às 2 bicicletas junta-se outra, e passam então a ser 3 as bicicletas; os 3 motociclos entretanto desapareceram. O 93, sempre cor-de-laranja, costuma chegar a horas.

Números, medidas, quantidades e até superstições. Hoje é quarta-feira e não sexta-feira, mas é também o dia 13 deste mês. Talvez porque em Itália os supersticiosos temam mais o dia 17, a viagem do 93 corre sem problemas. E o 93 chega ao destino; cor-de-laranja sobre o asfalto, o 93 chega à hora prevista.

Hoje, quarta-feira, dia 13 de Setembro de 2006, 414 anos depois da morte de Michel de Montaigne, já depois da reforma do calendário operada pelo Papa Gregório XIII, o 93 chegou a horas. Amén.

Sem comentários: