segunda-feira, 18 de junho de 2007

Acordar para o sonho a meio do sono pode, às vezes, ser tão bom como adormecer num sonho enquanto acordado. Em ambos os casos é possível escapar a todas as crueldades inerentes à nossa condição. É nessas ocasiões que o tempo deixa de existir e melhor me lembro que...

(c) Je ne crains point à dire la tendresse de ma nature si puerile que je ne puis pas bien refuser a mon chien la feste qu’il m’offre hors de saison ou qu’il me demande.*

(c) Não tenho receio de admitir a ternura de minha natureza tão pueril que não consigo recusar a meu cão a festa que me faz fora de hora ou que pede.**

*Michel de Montaigne Essais, Livre II, Chapitre XI – De la cruauté. **Tradução de Rosemary Costhek Abílio.

Sem comentários: