sexta-feira, 13 de julho de 2007

O Vaticano regressa ao passado e o Latim às missas. Quem quer perceber? Talvez nunca se tenha percebido e por isso pouco muda. A língua pouco importa e por isso aqui ficam três excertos da Santíssima Trindade da Literatura dos nossos dias em língua original:

You cannot separate paranoia from knowledge. The more you know, the more possibilities you see. The more possibilities you see, the more possibilities someone else sees. The more “someones” there are, the more “they” are. It’s a matter of simple math before you realize that They might not like you. (Craig Clevenger, Dermaphoria)

Andy Warhol was wrong. In the future, people won’t be famous for fifteen minutes. No, in the future, everyone will sit next to someone famous for at least fifteen minutes. (Chuck Palahniuk, Rant)

Them supermodels might look great with clothes, but let’s face it: you wouldn’t wanna fuck one of em. Feel like one of them Indian geezers lyin on a bleedin bed of nails. (Irvine Welsh, If You Liked School, You’ll Love Work...)

segunda-feira, 2 de julho de 2007

De pé descalço bebe leite pelo cálcio e pensa o que será da seara de onde veio tal cereal. Cala-se a voz interior que nada tem para calçar enquanto o olhar se dirige para a caixa dos cereais que flutuam no leite sem saber nadar; esperam a sua vez, até que os colhe uma colher que os entrega à boca do destino para que cumpram a sua função.

A crer verdadeira a informação na caixa dos cereais, será um dia um super-herói mas espera não usar lycra nem vestir por fora o que por enquanto se vai vestindo por dentro.

De mão que vai ainda tropeçando nos dedos, alcança o croissant, bom companheiro do café com leite, que interrompe o crescente desejo por algo igualmente...bom! Percebe então por que razão perdeu a cabeça Maria Antonieta e desliga a televisão.

Há-de um dia lutar contra o crescente e combater o Islão. Continuará adepto do croissant até que fique verde a morrer de indigestão.