segunda-feira, 2 de julho de 2007

De pé descalço bebe leite pelo cálcio e pensa o que será da seara de onde veio tal cereal. Cala-se a voz interior que nada tem para calçar enquanto o olhar se dirige para a caixa dos cereais que flutuam no leite sem saber nadar; esperam a sua vez, até que os colhe uma colher que os entrega à boca do destino para que cumpram a sua função.

A crer verdadeira a informação na caixa dos cereais, será um dia um super-herói mas espera não usar lycra nem vestir por fora o que por enquanto se vai vestindo por dentro.

De mão que vai ainda tropeçando nos dedos, alcança o croissant, bom companheiro do café com leite, que interrompe o crescente desejo por algo igualmente...bom! Percebe então por que razão perdeu a cabeça Maria Antonieta e desliga a televisão.

Há-de um dia lutar contra o crescente e combater o Islão. Continuará adepto do croissant até que fique verde a morrer de indigestão.

1 comentário:

anaas disse...

...
Dou por mim muitas das vezes a questionar-me qual o meu almo�o...o que esqueci na banca da cozinha, uma refei�o ligeira no caf� mais perto do escrit�rio...atropelada pelos movimentos ( dos outros...que de resto nem convidei...)ou no recato do escrit�rio que est� " artilhado" convenientemente por um microondas e uma m�quina de caf�... vou para este �ltimo...olho para os cereais...chocolate...verifico que muitas das vezes me transformo numa " Cereal Killer"... :):)

Err...ok, ok, j� percebi...fui!!!!