segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Durante a recente estadia na capital húngara, aproveitei para visitar o Szoborpark (Parque das estátuas), também conhecido como Memento Park. Os panfletos de propaganda anunciam este como o local ideal para se observarem os “restos da ditadura comunista”; lá podemos encontrar as estátuas impostas pelo regime comunista e retiradas das ruas após o seu fim.

Dizem não ser um museu sobre o comunismo mas sim sobre a queda do comunismo. Há diferentes formas de nostalgia, de lembrar e de esquecer.

Com foice para abrir a porta do Trabant de plástico e martelo para romper a cortina de ferro, hoje já não é assim porque se come pato em Varsóvia e o vermelho já não é moda.

Pesa o realismo socialista em cada uma daquelas estátuas gigantescas que agora se fazem companhia, sem o mesmo significado de outrora, longe do centro mas ainda assim disponíveis para sessões fotográficas.

Sem comentários: